Que tal uma balinha?

E ai pessoal, tudo bem com vocês?

Você já parou para pensar no poder que uma bala pode exercer na equipe de um projeto? Calma, eu não estou ficando louca! Vou te demonstrar o quanto um “potinho” de bala é importante para o gerente de projetos.

Alguns gostam mais de um café, mas como não sou adepta ao cafezinho, prefiro sempre ter um potinho de bala comigo.

Mas, o que um pote de balas pode ter em comum com um projeto?

Uma das principais funções de um Gerente de Projetos é manter sua equipe integrada, minimizando conflitos, maximizando os pontos positivos da equipe e de cada um de seus membros.

Ok, mas e a bala?

Em momentos de estresse o Gerente muitas vezes precisa colocar “panos quentes” nos problemas, chamar um membro da equipe para a “sala da disciplina” e nesses momentos é que a bala faz toda a diferença.

Como assim a bala?

Para iniciar a conversa, quebrar o gelo ou acalmar os ânimos, ofereça uma balinha a sua equipe, um ato bastante simples que pode dar tempo para aquela “respirada” e “oxigenada” nas ideias para facilitar a abordagem do problema e/ou conflito que precisa ser solucionado.

Um simples ato que lhe aproximará ainda mais da sua equipe!

Já tive resultados bastante positivos utilizando essa técnica, inclusive em alguns casos eu substituo a bala por um bombom.

Por exemplo, participei de um projeto onde a maior parte dos membros de um comitê sempre atrasava para participação das reuniões, levantavam no meio das mesmas, não participavam efetivamente, nesse projeto a solução foi apelar para o chocolate rs, quem comparecia de corpo e alma nas reuniões ganhava um chocolate no final.

A “brincadeira” teve um efeito quase mágico, as reuniões que demoravam em média 2h30 para serem realizadas, passaram a ser realizadas em no máximo 1h, todo mundo mantinha o foco, os problemas eram solucionados e no final todo mundo ganhava um chocolate.

Em outros momentos membros da minha equipe sempre davam um pulo na minha mesa para “chupar” uma bala e aproveitavam a visita para falar de algum problema, pedir alguma coisa ou alinhar o andamento do projeto.

Enfim, nossas avós conquistavam seus maridos pelo estômago, nós gerentes de projetos, podemos adaptar a técnica e pegar nossos stakeholders pelo estômago e tornar o dia de todo mundo um pouco mais doce!

Você aceita uma balinha?

Um grande abraço e um dia doce para você.