Por que é tão Difícil Colocar em Prática a Análise de Stakeholder?

Falaaaaaa GP! Tudo bem?

Na minha visão, não existe nada mais complicado em um projeto do que o relacionamento com os Stakeholders.

Em qualquer projeto, profissional, pessoal, emocional, qualquer um, se relacionar com os Stakeholders para que eles possam contribuir positivamente com o projeto é um desafio que nem sempre alcançamos a vitória, infelizmente!

Na teoria muito se fala, já viu até área do conhecimento, mas na prática, ahhhhhhhhhhh a prática ela mais uma vez se mostra bem diferente da realidade.

Mas, por quê é tão difícil efetuar a análise de Stakeholder?

Tenho algumas teorias rs…

  1. Temos a pretensão de que é algo que vamos tirar de “letra” e que com toda a nossa “fofura”, jeitinho e resiliência vamos eliminar cada um dos impedimentos ou “converter” para o lado brilhante da força aqueles que não estejam muito abertos ao projeto;
  2. A vida de projeto é tão corrida, temos tão pouco tempo para planejar que se conseguirmos montar um cronograma, orçamento e um plano de riscos antes de iniciarmos já está de bom tamanho;
  3. O nosso lado humano pode dificultar durante o exercício, e acabamos deixando que aspectos políticos extrapolem o técnico. Por mais que o discurso seja de preservar sempre a imparcialidade, muitas vezes o lado pessoal/emocional acaba pesando durante essa análise.

Acredito que esses três pontos são decisivos para negligenciarmos essa análise tão importante, que pode impactar de verdade no resultado ou no nível de emoção do teu projeto.

Eu já tenho muitos anos nessa vida de gerenciamento de projetos… como diria minha mãe, já sou “macaca velha” nesse mundo, e confesso que em alguns projetos negligenciei essa análise e acabei tendo muito mais emoção do que eu precisaria.

Em um caso recente, essa não identificação de um Stakeholder quase me custou o sucesso do projeto. O pior é que aumentei de forma significativa a emoção e tive que “rebolar” para reverter a situação.

Nesse projeto eu até fiz a análise, mas acabei não envolvendo todas as áreas do meu cliente e no auge da execução eu “descobri” a importância dessa nova área. MAMÃE como foi complicado reverter, mas com muita paciência, resiliência e humildade conseguimos alcançar todos os objetivos do projeto.

E o que eu faria diferente?

  1. Envolveria mais o meu cliente nessa análise, principalmente para que ele pudesse me alertar desses pontos de risco;
  2. Aplicaria a técnica dos 4I’s, sendo que após identificar, eu o avaliaria sob os seguintes aspecto:
    a. Influência;
    b. Impacto;
    c. Interesse;
  3. Forçaria a “barra” para que todas as pessoas identificadas nessa análise participassem de um Kickoff do projeto;
  4. Focaria muito na comunicação para minimizar os ruídos;

Resumindo, se você quer ter um projeto menos emocionante faça um plano consistente, simples e não esqueça de fazer a análise de seus Stakeholders.

Para te ajudar nessa análise eu preparei um template bem bacana, tenho certeza que ele te ajudará a não cometer o mesmo erro que eu cometi.
Para baixar esse template, clique aqui!
Use e abuse sem moderação.

 

Um forte abraço!

#projetizando #projetoTransforma #gpDePegada

2 Comentários

  1. Rivaldo Guedes Corrêa Jr julho 25, 2016 Reply
  2. Marcia agosto 1, 2016 Reply

Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *