PMO agregando valor aos seus Projetos

E ai pessoal, tudo bem?

Vou me apresentar de forma bem sucinta.

Sou Jacqueline Torres, irmã do Renato, e sou Gerente de Programas já algum tempo, melhor não comentar quanto tempo para não entregar minha idade J.

Sou formada em análise de sistemas, com pós-graduação em Engenharia de Software, Gestão de Projetos e Gestão Empresarial. Sou certificada PMP desde 2004 e tenho certificações de Project Professional e Project Online nas versões 2010 e 2013. Atuo como Executiva de Projetos da Practicar Gestão de Projetos em projetos nas mais distintas áreas de negócio.

Enfim, a partir de hoje assumirei a atualização do blog e passarei a interagir com vocês três vezes por semana, onde:

– Segunda-feira: teremos um artigo técnico de minha autoria. Nesses artigos sempre trarei assuntos relevantes, avaliação de ferramentas, comentários sobre projetos de interesse público.

– Quarta-feira: será aberto um espaço para parceiros que queiram divulgar seus estudos de caso, seus artigos e também entrevistas com profissionais da área de projetos.

– Sexta-feira: apresentarei posts sobre curiosidades e novidades do fantástico mundo dos projetos.

 

Apresentações feitas agora vamos ao que interessa!

Sempre que sou chamada em uma nova empresa para que apresente processos, funções e responsabilidades de um PMO me deparo com um mito de que um PMO é uma estrutura “pesada”, cheia de processos, procedimentos, políticas e normas de trabalho. Existe até um estereotipo de que um PMO é um “cara quadradinho” , chato e que está na empresa para cobrar, ficar no pé de todo mundo e ser o verdadeiro dedo duro.

É claro que todo mito tem um fundo de verdade, mas podemos fazer diferente, podemos fazer muito melhor e de forma muito simples!

Em 2003 gerenciei meu primeiro grande projeto e eu era muito inexperiente, tinha muita boa vontade, um grande desafio nas mãos e uma energia absurda para fazer daquele o projeto da minha vida. No meio do projeto não aguentava mais levar tanta “porrada” dos meus Stakeholders e um dia conversando comigo mesma pensei: “Deve ter uma forma diferente de trabalhar, não é possível que sofrerei desse jeito a cada novo projeto!”, foi aí que decidi fazer um MBA em Projetos, estudar e consumir toda a literatura disponível no mercado para montar minha própria metodologia de trabalho baseada nas boas práticas de mercado.

Passava meus finais de semana estudando, aprendi muito e comecei a tentar colocar tudo em prática, montava planos de projeto enormes, processos e procedimentos para minha equipe e a coisa começou a andar, mas por outro lado eu quase ficava maluca para deixar todos os documentos 100% atualizados e sem perceber eu tinha me transformado no PMO que boa parte das empresas e pessoas conhece, o PMO chato!

Foi aí que parei e pensei novamente: “Deve ter outra forma de trabalhar, será que ficarei o projeto inteiro atualizando documentação?” Foi então que comecei a questionar e adaptar tudo o que estava fazendo e cheguei a conclusão de que gerenciar projetos, pode ser simples, mas temos uma tendência muito grande em complexificar tudo.

Voltei para prancheta e comecei estudar, estudar e analisar todas as lições que aprendi ao longo dos projetos, e cheguei a conclusão de que: “Posso fazer diferente, posso gerenciar projetos de forma simples e alcançar ótimos resultados”.

Ao longo das próximas cinco semanas apresentarei a maneira como você pode transformar a sua área de projetos em um PMO que agregue realmente valor! O melhor é que apresentarei a forma de você alcançar esses resultados com as ferramentas que temos em “casa”: Word, Excel e o nosso fiel escudeiro “Project”.

Espero ter sua companhia e seus comentários ao longo dos meus posts, isso fará com que a troca de experiência aumente muito e para que possamos melhorar a cada dia nossos projetos e consequentemente nossa vida!

É isso que eu espero, vamos agregar valor ao camarote, ops, vamos agregar valor aos nossos projetos!

Um grande abraço e até a semana que vem!

 

Jacque Torres.

2 Comentários

  1. Andre junho 15, 2015 Reply
    • Jacqueline Torres junho 15, 2015 Reply

Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *