Parceria e Sinceridade, a base para o relacionamento GP x Patrocinador

Fala GP, tudo bem?

Para mim essa semana é sempre de muita reflexão e avaliação das lições aprendidas durante um ano! Escolho sempre essa semana, pois é meu aniversário de certificação PMP.

No dia 17/12 completei o décimo primeiro aniversário, realmente estou ficando velha rs, mas quantas lições aprendidas, quantos projetos, quantas porradas e quantas vitórias ao longo desses anos.

Nessa minha reflexão percebi o quanto quebrei meus próprios paradigmas, principalmente nos relacionados aos processos e formalização do projeto.

Sabe o que mais mudei ao longo desses anos? A forma como eu enxergo a necessidade de formalização e documentação do projeto.

Quando comecei achava que quanto mais documentada eu estivesse, mesmo que ninguém lesse, mais bem feito eu estaria fazendo meu trabalho.

Quanto mais “rígida” eu fosse, mais GP eu estaria sendo!

Quanto mais inflexível com um escopo definido, mais sucesso eu teria no projeto!

Nossa… como eu era QUADRADINHA!

Continuo acreditando em planejamento, continuo acreditando em um escopo, mas acredito na mesma proporção na importância de ser flexível e na parceria com os Stakeholders.

Nessa mesma linha de parceria, tive uma conversa muito legal com o Cadu Cruz que é CEO de da Cooperativa Paulista de Teatro, uma frase que ele me disse no bate papo me tocou demais: “eu espero sinceridade de um GP!”.

Refleti sobre essa frase e cheguei à conclusão que nem sempre eu fui sincera com o meu patrocinador. Muitas vezes com receio da “porrada” que viria ou por “insegurança” no caminho que deveria seguir.

Conforme fui amadurecendo como profissional eu fui perdendo esse receio, e percebi que a sinceridade é o melhor caminho. Se enxergo um ponto crítico ou um risco de alto impacto, já compartilho a visão com o patrocinador evitando assim o sentimento de marido traído… em vez de ser o último a saber, o patrocinador passou a ser o primeiro a saber dos problemas críticos do projeto.

É claro que essa consciência não nasceu da noite para o dia, foi um processo, um passo de cada vez, quando percebi já tinha entendido que o patrocinador não é o lobo mau e o GP a vovozinha, que podemos trabalhar muito melhor se trabalharmos juntos e com uma parceria sincera.

Essa foi a linha do meu bate papo com o Cadu Cruz, um jovem executivo que dirige uma carteira de projetos imensa, muito peculiar e especial.
Ficou curioso no que rolou nessa conversa?
Dá uma olhadinha no vídeo Do Outro Lado da Mesa desse mês.

Enfim, espero poder exercer por mais 11, 20, 30, 100 anos essa profissão que tanto AMO e que me surpreende a cada projeto!

Realmente, meu amigo GP nunca morreremos de tédio e monotonia rs!

Tamu junto sempre, com muita sinceridade e parceria!

E com você? Já fez o seu processo de lições aprendidas de 2015? O que mudou na sua forma de gerenciar projetos desde que iniciou nessa profissão?

Compartilha sua visão comigo, ficarei muito feliz em entender um pouco mais sobre seus projetos.

Um forte abraço!

#projetoTransforma #meuProjetoMinhaVida #gpDePegada #msProject

Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *