O que fazer quando a política fala mais alto?

Falaaaaaaaaaaaaaa GP!

Todo mundo sabe como é importante o gerente de projetos ter um lado político bem aguçado, afinal de contas é essencial que ele navegue bem entre as áreas, tenha habilidade de negociação e consiga solucionar conflitos com facilidade. Sem essa habilidade é quase impossível se gerenciar um projeto!

É notório também que quanto mais estratégico for o projeto, será mais exigida as habilidades políticas do GP.

Infelizmente, muitas vezes o GP se depara com situações nada técnicas, mas se não forem gerenciadas de perto podem causar um impacto irrecuperável ao projeto.

Na maior parte das vezes os conflitos políticos começam com:

  1. Compartilhamento de recursos: Minha Nossa Senhora Padroeira dos Gerentes de Projeto dai-nos paciência quando o assunto for compartilhamento de recursos.Quando estamos em uma organização matricial ou funcional o compartilhamento de recursos pode até despertar os sentimentos mais primitivos das pessoas rs.Todo mundo querendo “puxar” aquele super especialista para o seu projeto, a disputa é acirrada e exige muita argumentação e negociação para que seja possível montar um bom time de projeto.E acaba “vencendo” aquele GP que tiver mais habilidade política!

 

  1. Prioridade entre projetos: assim como recurso, definir a “fila” de execução de projeto também pode exigir muita habilidade política.Essa avaliação muitas vezes é pautada por decisões emocionais, imediatistas e para atender os “desejos” de alguma área e nem sempre são avaliados os impactos da priorização em todo o Portfólio da empresa.Sou muito contra decisões emocionais, eu tenho certeza de que elas mais complicam do que solucionam um problema.Quando as decisões de prioridades são pautadas pela política e/ou emoção, certamente o resultado no médio-longo prazo será desastroso.

 

  1. Guerra de ego: existe algo mais chato do que uma guerra de egos no meio de um projeto? Independentemente do nível dos envolvidos, ter que lidar com o ego e desejos individuais pode demandar muito tempo e energia do GP.Uma vez já me vi em uma situação bem desconfortável, onde um Stakeholder acabou não pedindo ajuda para a realização de uma entrega, simplesmente por não querer “assumir” suas limitações; esse receio de demonstrar seus pontos negativos acabou gerando um desconforto no time e tive que atuar firmemente para garantir a integração da equipe em um momento de crise.Ter humildade e saber reconhecer suas limitações é primordial para qualquer membro de equipe, por outro lado o GP tem que ter habilidade de passar segurança para o time, reconhecer antecipadamente esse tipo de situação e eliminar a causa-raiz é pré-requisito para uma boa gestão.

 

Seria tão mais fácil se todas as decisões/situações fossem baseadas em métricas, fórmulas e equações, mas na vida real nem sempre as decisões seguem esse caminho!

Muitas vezes o GP acaba investindo uma energia enorme para conseguir atender essas expectativas/desejos dos envolvidos que o resultado do projeto acaba ficando no segundo plano.

Escutei de um cliente uma vez que sou muito política e que ele achava isso bem positivo, pois facilitava o alcance dos meus resultados.

Fiquei pensando, pensando e pensando para avaliar se não estava exagerado na dose das negociações e busca incansável para evitar conflitos, se isso não tem impactado no desenvolvimento da minha equipe, ou se tenho deixado o resultado do projeto de lado, se isso não seria um aspecto negativo para eu melhorar…

Sabe aquele momento de reflexão profunda? Então, essa afirmação dele me levou a pensar/escrever sobre o tema…

Mas, depois de muito pensar, ficar confusa cheguei à conclusão de que:

Quanto mais complexo o projeto, a habilidade política será muito exigida do GP.

E enquanto ela for praticada com ética, respeito, seriedade, e em prol dos resultados esperados pela companhia/projeto, ela pode até desgastar o GP, mas essa condução/influência será primordial para o sucesso do projeto.

E você, o que acha de tudo isso? Você se considera uma pessoa política?

#projetoTransforma #gpDePegada #projetizando

Uma resposta.

  1. Roberson Araujo julho 25, 2016 Reply

Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *