Nós temos que preparar os olhos das pessoas!

OlharE ai pessoal, tudo bem com vocês?

Estou participando de um grande e complexo projeto em uma indústria química internacional onde o seu principal valor é a Segurança, no meio da reunião o responsável pela área de segurança me disse uma frase que me deixou pensativa o dia todo: “Nós temos que preparar os olhos das pessoas para que elas consigam enxergar os riscos da mesma forma como eu os enxergo”.

Mas, por que fiquei tão pensativa?

Fiquei pensativa porque isso se adequa em qualquer situação, principalmente, de projetos…. Nós estamos preparando os olhos de nossos stakeholders?

Pare um minuto e reflita sobre o assunto!

Reclamar da falta de comprometimento de parte do time, falta de alinhamento ou problemas de comunicação é praticamente uma rotina que ronda todos os projetos e até mesmo as rotinas das empresas.

Nossos cronogramas, atas de reunião, listas de atividades, indicadores de desempenho parecem sempre tão claros, óbvios e eficientes; e as vezes que o plano não dá certo a culpa não é do GP e sim do time, porque não teve boa vontade, comprometimento com os resultados e a faca na caveira necessária para o projeto.

É também muito fácil de encontrar GP’s falando que estão cansados de atuarem como “babas de marmanjos”, tudo bem que isso é uma meia verdade, mas será que estamos preparando os olhos de nosso time para que eles pratiquem a auto-gestão ou para que eles enxerguem a importância de seguir o plano do projeto?

Eu tenho minhas dúvidas… faço inclusive uma autocrítica, pois muitas vezes espero que a equipe tenha uma atitude diferente, que vista e torne a camisa do projeto parte de seu corpo, que o projeto corra em suas veias 100% do tempo, ai eu me pergunto: o que eu realmente e efetivamente faço para preparar minha equipe para que isso aconteça?

Tento me apoiar nas teorias motivacionais tradicionais, tento entender as necessidades e expectativas da equipe, tento demonstrar a importância do cumprimento do plano, mas depois de escutar essas palavras e de refletir o dia todo eu acho que essas ações já não são mais tão efetivas nessa era da informação, das redes sociais e de profissionais mais superficiais e menos especialistas.

Hoje meu post não trará uma regra de ouro, não trará uma fórmula de sucesso ou uma receita de bolo… meu objetivo é apenas despertar o teu senso crítico, assim como aconteceu comigo…

E para piorar ou melhorar, depende do ponto de vista, entro no carro após a reunião, ligo o rádio e está tocando uma música do Raul Seixas que apoia ainda mais esse meu momento de reflexão, coloco aqui um trecho dessa música:

“Nunca se vence uma guerra lutando sozinho, você sabe que a gente precisa entrar em contato… Com toda essa força contida que vive guardada, o eco de suas palavras não repercute em nada.

É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro, evita o aperto de mão de um possível aliado, convence a parede do quarto e dorme tranquilo, sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo”.

Não acredito em coincidências, acredito que nada é por acaso e tenho certeza que essa reflexão me renderá bons frutos.

Enfim, continuarei refletindo, pesquisando, escutando Raul e assim que chegar a uma conclusão compartilho com vocês…

Um grande, musical e pensativo abraço em todos vocês!

Jacqueline TorresJacque Torres, PMP

Executiva de projetos e especialista em ferramentas de Gestão de Projetos e Portfólio.