Projeto Rio 2017 – Alcançar o resultado uma vez é fácil, o difícil é fazer sempre!

Falaaaaaaaaaaa GP, tudo bem?

Sumi por quase um mês, mas sumi por bons motivos! Não está nada fácil conciliar a rotina de projetos, vida de mãe no período de volta às aulas, rotina de treinos e ainda escrever para o Blog rs.

Mas, continuo aqui firme e forte no plano do Rio 2017!

Aprendi tantas coisas no último mês e já tenho uns 4 posts escritos mentalmente, mas prometo que compartilharei essas lições aprendidas em breve.

Mas, sem mais delongas e vamos ao “causo” de hoje!

Sempre que começamos a “projetizar” uma empresa e/ou área nosso maior desafio é comprovar que o planejamento bem feito, e uma execução conduzida com muito foco são essenciais para o alcance dos resultados do projeto.

Ficamos tão focados em garantir esses resultados que na maior parte das vezes o primeiro projeto alcança o sucesso, é claro que com muito esforço, transpiração, mas alcançamos o sucesso!

Com o passar do tempo, vamos ganhando segurança, experiência e muitas vezes acabamos não nos atentando a todos os detalhes importantes, todos os detalhes que nos nossos primeiros projetos nos facilitaram o alcance do sucesso.

Mas, por que deixamos isso acontecer?

Como em qualquer coisa na vida, o excesso de confiança é mortal para um projeto, a partir do momento em que o GP não sentir aquele friozinho gostoso na barriga durante a execução algo está muito, mas muito errado mesmo!

O excesso de segurança fará com o que não nos apeguemos aos detalhes, deixaremos o projeto no piloto automático e certamente cometeremos erros bobos mesmo sendo um profissional experiente.

Um dos erros mais comuns é não seguirmos a governança estabelecida por conta de outras prioridades e/ou agenda tumultuada do dia-a-dia.

Por isso disse no começo, fazer uma vez é fácil, o difícil é fazer sempre!

É fácil mantermos a disciplina em um projeto, o difícil é manter a disciplina sempre! É fácil atualizarmos o cronograma uma vez, o difícil é atualizamos sempre! É fácil fazer uma reunião de status, o difícil é fazer a reunião toda semana!

Se não nos policiarmos o tempo todo, se não sentirmos o friozinho na barriga vamos errar e não vamos conseguir alcançar o resultado.

E qual a relação de tudo isso com o Projeto Rio 2017?

No meu cronograma eu tinha estabelecido como meta correr 10 KM na última semana de fevereiro, mas no final de dezembro tive um risco não planejado (isso será foco de um outro post) e o que me fez diminuir o meu desempenho nos primeiros treinos de 2017. Treinei, mas sabia que podia um pouco mais do que estava entregando.

A partir das duas últimas semanas de janeiro, decidi que alcançaria a minha meta de 10KM no começo de fevereiro.

Mirei no resultado, foquei muito e parti para a “guerra”! Em 31/01, com quase um mês de antecedência, eu alcancei a meta de 10KM.

Para alcançar essa meta, eu deixei de lado as orientações do meu personal, pulei alguns treinos vários treinos e parti para o tudo ou nada.

Confesso que foi bem mais fácil do que eu imaginava… não sofri, fiz um bom tempo e já achei que eu estivesse arrasando.

E o que aconteceu depois disso?

Fiquei superconfiante e comecei a não seguir à risca a planilha e as orientações do meu personal. E qual foi o resultado dessa indisciplina?

Na minha próxima tentativa de alcançar os 10KM novamente eu falhei! Eu falhei porque não prestei atenção aos meus parâmetros, não controlei a minha velocidade, não me alimentei adequadamente…

Falhei na metade do caminho, quando cheguei na marca dos 5KM eu praticamente “morri”, tive que interromper o treino.

Mas, como já me achava experiente, achei uma série de justificativas para a minha falha.

Uma semana depois e mais uma tentativa frustrada! Consegui os 10 KM, mas com um tempo pior do que o da primeira vez.

Decidi então retornar ao meu plano, seguindo certinho e principalmente seguindo a orientação do meu personal. Nada de rebeldia ou de tentar acelerar o que não pode ser acelerado… e qual foi o resultado?

Consegui os 10 KM com 6 minutos a menos do que a minha primeira vez!

O que aprendi com tudo isso: comprovei que a insegurança e o friozinho na barriga muitas vezes são fatores chaves para o sucesso do projeto, que devemos sempre acreditar/seguir o nosso plano…

Além de tudo isso, que acertar das primeiras vezes é um mix de sorte de principiante, controle ostensivo e um pouco de humildade para reconhecer/monitorar seus pontos fracos.

É isso meu amigo GP, se você está curioso para avaliar o andamento do projeto Rio 2017, dá uma olhadinha no relatório de status.

Um forte abraço!

 

#projetoTransforma #projetizando #equipeProjetizando #projetizandoNoRio2017 #gpDePegada #meuProjetoMinhaVida

Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *