Fala GP, que eu te escuto e te respondo! – Parte 2

E ai GP, tudo bem com você?

Fiquei muito feliz com a repercussão da estreia do nosso canal “Fala GP, que eu te escuto e te respondo”, foram muitas mensagens, perguntas, dúvidas e comentários em minhas redes sociais e e-mail.

Tenho certeza que esse canal me ajudará muito na minha missão pessoal que é “disseminar e popularizar a cultura do gerenciamento de projetos através do compartilhamento de conhecimento e troca de experiências”.

E o artigo dessa semana será inteiramente dedicado aos meus nobres colegas Ricardo Costa, ao Alex Duque e o Bruno.

Vamos começar a trabalhar?

#assuntosPolemicos

Meu amigo Alex Duque me fez uma pergunta muito relevante, principalmente para os que ainda não são GP’s.

Dúvida:
“Estou fazendo uma Pós-Graduação em Gestão de Projetos, como faço para entrar na área?”

Meu caro amigo Alex, vamos por partes rs.
Primeiro faça uma reflexão e responda as seguintes questões:

  1. Você está disposto a se tornar o “saco de pancadas” do projeto?
    É isso mesmo, levamos porrada da equipe, do patrocinador, dos nossos pares e de todos os lados…
  2. Você está disposto a almoçar algumas vezes ou a maioria das vezes sozinho?
    Sim, a gente almoça sozinho, principalmente quando o “bicho está pegando”, porque terão dias em que a equipe sentirá vontade de te matar…
  3. Você gosta de sentir a adrenalina em níveis altíssimos?
    Sim, nosso trabalho é extremamente emocionante rs.

Apesar de tudo isso eu AMO o que eu faço e se vc tiver PAIXÃO tenho certeza que o primeiro passo para o sucesso já foi dado!

Agora o como entrar é bastante relativo e depende muito da área que você está trabalhando atualmente, eu vou contar a minha história e de algumas pessoas da minha equipe que pode te elucidar algumas formas de iniciar na área, ok?

Quando eu dei por mim eu já estava ali, comigo foi exatamente assim, por formação sou Engenheira de Software e sempre fui muito “intrometida” e curiosa, então comecei meu primeiro projeto como analista de sistemas. Ficava fascinada com o “poder” que o gerente de projetos tinha, então comecei a querer entender mais e mais como funcionava aquele universo.

Para você ter uma ideia meu TCC na faculdade já foi sobre um processo e sistema de gerenciamento de projetos, ou seja, a paixão é antiga mesmo.

E sempre queria me envolver, tentar entender um pouco mais, nesse mesmo projeto virei líder técnico e depois de algum tempo fui promovida a GP do projeto. Foi um crescimento muito rápido e confesso que não tinha preparo nenhum para assumir a posição.

Isso acontece muito no mercado, por você ser um bom técnico vai sendo promovido até chegar a ser GP. Só tome cuidado, pois GP é uma nova profissão e você precisa desenvolver outras habilidades, principalmente interpessoais que não são tão requeridas em um cargo mais técnico.

Isso você já está sanando, pois já está fazendo uma pós em gerenciamento de projetos. Está no caminho certo.

O outro lado é uma reviravolta mesmo e mudar de profissão, eu trouxe algumas pessoas para o “lado negro da força” para compor minha equipe, esse pode ser o lado mais “demorado”, mas é o que lhe trará mais segurança quando for gerenciar seu primeiro projeto.

Busque uma posição como analista de projetos, nesse caso você terá contato com as ferramentas, técnicas e poderá ter um GP como sua referência para lhe ajudar nesse processo de crescimento e aprendizagem.

Esse caminho é menos “emocionante” e os resultados em alguns casos são mais duradouros.

Espero ter respondido as suas questões, boa sorte e aproveite muito o caminho que você traçar para alcançar o seu objetivo!

#perguntaDeProva

O meu amigo Ricardo Costa veio com uma pergunta de prova bem pertinente e tenho certeza que muitos leitores já passaram por isso…

Dúvida:
Por onde devo iniciar na criação de um PMO para minha empresa?”

Essa é uma pergunta de prova literalmente, tentarei resumir os quatro primeiros passos para que você obtenha sucesso nessa sua jornada:

1. Convença pelo exemplo
Na minha visão, implantar a cultura do gerenciamento de projetos em uma empresa é algo que demanda muito tempo, nem sempre a empresa está pronta para isso, então a melhor forma de convencer e demonstrar valor é usando exemplos.O poder do exemplo vale mais do que mil palavras!

Um material bem legal que você pode se apoiar é o Chaos Report, ele tem estatísticas horrorosas sobre a gestão dos projetos de TI.  Segue também um material que pode te ajudar nessa etapa: http://bit.ly/1FgH6KG

Faça um acordo com a sua diretoria para que você faça um projeto piloto para demostrar que os resultados podem ser diferentes.

2. Defina o piloto
Temos que começar por algum lugar, então olhe para o teu Portfólio e escolha um projeto para começar a trabalhar de maneira diferente.Para esse projeto, você começa a pensar em implantar alguns controles diferenciado, eu faria apenas os seguintes passos:

  • Defina um escopo inicial, use a técnica do CANVAS;
  • Faça um cronograma bem feito;
  • Inicie a governança do PMO com reuniões de status e progressos;
  • Gerencie as mudanças;

Isso já lhe dará um salto de maturidade absurdo e os resultados aparecerão e ficará muito mais simples convencer a sua diretoria da importância dessa área na empresa ou função no departamento.

3. Defina uma ferramenta
Se você já passou pelo passo 1 e 2 é hora de escolher uma ferramenta. Temos uma infinidade de softwares para gerenciamento de projetos, tudo depende de quanto vc está disposto a investir.Eu uso o Project Online (Project Server da Microsoft na Nuvem), tem um valor super legal e gerencia muito bem o teu Portfólio como um todo.

Se quiser saber um pouco mais sobre o PWA acesse o site da minha empresa e veja como a ferramenta pode te ajudar.Com a nuvem a implantação do Project Server ficou altamente viável, mas existem outras ferramentas de mercado, umas mais e outras menos robustas.

Uma coisa eu tenho certeza, nos dias atuais, não dá para imaginar um PMO sem ferramenta, precisamos automatizar o trabalho burocrático e mecânico para que a gente se concentre no que fará a gente ganhar o jogo.

4. Trabalhe como uma formiguinha militar
Disciplina, resiliência e paciência são as palavras de ordem, se torne uma formiguinha militar rs.

Sim, você não poderá desistir nunca, por mais difícil que poderá parecer temos que ter a resiliência e paciência de uma formiga e temos que garantir a execução do projeto como um militar.

Do contrário o PMO naufragará no primeiro resultado negativo. Ao final de cada projeto avalie as lições aprendidas, ajuste os parafusos e vá para o próximo e sempre incluindo um pouco mais de gestão, controle e a cultura será modificada naturalmente.

Um PMO pode começar a dar resultados desde o seu primeiro projeto, mas a cultura só começará a ser efetivamente solidificada a partir de um ano. A etapa de evangelização da cultura é o momento que precisamos ter mais disciplina, sempre que um obstáculo for encontrado em vez de desistir, pense na formiga e busque um outro caminho!

#duvidaDeProject

O meu amigo Bruno tem uma dúvida sobre uma fórmula que postei aqui bem no comecinho do blog e esse artigo até hoje continua sendo um dos campeões de audiência.

Dúvida:
“Poderiam indicar a fórmula com as funções em inglês? O MS Project 2013 da empresa só tem este idioma disponível.”

Bruno, desculpe a demora, mas tive que instalar um Project em inglês para traduzir a fórmula sem erros!
Segue a fórmula do % planejado para a versão em inglês do Project:

IIf([Baseline Work] <> 0; (Round(([BCWS] / [Baseline Cost]) * 100)); IIf([Status Date] < [Scheduled Finish]; 0; 100)) & “%”

Espero que tenha conseguido responder suas questões, continuem mandando suas dúvidas que eu PROMETO que darei o meu melhor para conseguir responder rapidamente.

Um forte abraço!

#projetoTransforma #assuntosPolemicos #perguntaDeProva #soPorAmor #meuProjetoMinhaVida

Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *